Sobre Milena Mendonça

Idealizadora e fundadora da Casa Positiva. Psicóloga. Especialista em Saúde Pública e da Família pela Universidade Tiradentes (Aracaju/SE-Brasil). Formação em Psicanálise (Escola de Psicanálise dos Fóruns do campo Lacaniano de Aracaju). Mestra em Psicologia e Saúde com ênfase em Psicologia Positiva pela Universidade de Palermo (Buenos Aires-Argentina). Única Psicóloga Positiva do estado de Sergipe. Com ampla vivência nas áreas de Psicologia Clínica, Psicoterapia, Psicologia da Saúde, Saúde Pública, Psicologia Social e Comunitária, Programas e Projetos Sociais, Psicologia Jurídica, Criminologia, Estudo de Gênero e Docência.

Serviços Ofertados

  • Psicoterapia Individual para crianças, adolescentes e adultos
  • Psicoterapia de Casal
  • Psicoterapia de Grupo
  • Psicoterapia de Família
  • Supervisão Clínica
  • Ludoterapia
  • Palestras, Consultorias, Assessorias e Treinamentos

Consultório de Psicologia

O consultório de psicologia procura criar um ambiente com o qual o paciente possa vincular-se de modo a reconhecê-lo como lugar no qual ele pode “ser” a partir da relação com o psicólogo e como lugar no qual estabelecerá uma relação de revelação para consigo mesmo por meio de sua expressão neste ambiente. Isto vale para todas as propostas de trabalho psicológico. A verdade, a contradição, a revelação, os sentimentos, as emoções, os paradoxos, as ambigüidades, a reflexão irão compor o processo dinâmico que se propõe neste lugar pela fala livre, acompanhada da compreensão psicológica de seus sentidos e significados.

Sobre a Abordagem

Em minha prática clínica, ofereço um formato terapêutico híbrido, isto é, uma combinação entre elementos relacionados com Psicoterapia Positiva associada à Psicoterapia tradicional (Psicanálise). Esses dois tipos de psicoterapia adotam um modelo de saúde diferente do seguido por muitos sistemas da Psicologia. São teorias complementares onde uma trabalha o aspecto do sofrimento e traumas (A Psicanálise) e a outra os aspectos positivos humanos (A Psicologia Positiva). Ambas buscam um modelo de excelência em saúde e do funcionamento ótimo da mente, ou seja os aspectos positivos e negativos humanos ao mesmo tempo, e com a mesma relevância.

Para você entender melhor, a Psicoterapia Psicanalítica é uma técnica terapêutica de base analítica, criada e desenvolvida a partir da Psicanálise, constituída por Sigmund Freud como uma teoria do funcionamento psíquico. Esta técnica promove no Paciente a aprendizagem do pensar livremente sobre os problemas que manifesta, tanto ao nível do seu mal-estar interior como nas questões difíceis de resolver da vida quotidiana, sem (pré) conceitos pessoais ou constrangimentos sociais. A relação entre Psicoterapeuta e Paciente é confidencial e pode continuar por meses ou mesmo anos. Os objetivos da Psicoterapia Psicanalítica são sobretudo a obtenção de maior compreensão interior, o enriquecimento pessoal em um ponto de vista afetivo e cognitivo dos conflitos que o afligem e em que o próprio encontrará, em conjunto com psicoterapeuta, soluções e novos modos, mais adequados, de se relacionar consigo e com os outros.

A Psicologia Positiva, por sua vez, é um campo científico dentro da Psicologia, que estuda a felicidade e o bem-estar, os sentimentos positivos (como alegria, gratidão e esperança), os traços positivos (como otimismo, autoconfiança, resiliência) e as forças e virtudes do caráter (como coragem, sabedoria e transcendência). Um movimento científico que redefiniu e expandiu o campo da Psicologia, quando o psicólogo Martin Seligman, conhecido mundialmente por suas pesquisas sobre depressão e otimismo, foi eleito presidente da Associação Americana de Psicologia (APA). Naquele ano, Seligman pronunciou e escreveu sistematicamente artigos sobre a necessidade de mudança no foco das contribuições da Psicologia, da doença mental para as motivações, capacidades e potenciais humanos. Seligman ressaltava que a Psicologia não era apenas o estudo da fraqueza e do dano, mas também o estudo das forças e virtude humanas.

Cuidar não significa apenas consertar o que está com defeito, mas também cultivar o que temos de melhor.